Nosso Roteiro em Londres - Dia 3 - Torre de Londres, Borough Market, Millenium Bridge, St. Paul's Cathedral e Leandenhall Market

 No nosso terceiro dia em Londres, nós optamos em conhecer uma parte da história da Inglaterra com a guia Thais em Londres (@thaisemlondres) e em conjunto nós decidimos nos encontrar na Torre de Londres e de lá ir para outros pontos turísticos. Foi um dia maravilhoso que vou deixar registrado aqui.


Cathedral St, London
Pelas ruas de Londres (Cathedral St 3).


Saímos do hotel que estávamos hospedados e pegamos o metrô em Embankment até a Torre de Londres  (District line).


Aproveitamos para conhecer o Sundial at the Tower Hill, um relógio de sol com desenhos em alto relevo em homenagem à história da cidade, de onde dá para ver toda a grandiosidade da Torre de Londres (£82,10). Atravessamos rua por baixo e demos de cara com a os jardins da Torre floridos (superbloom), que para visitá-los era um preço a parte (£12/adulto e £6/criança).


Desenho esquemático da base do Sundial at the Tower Hill.
Desenho esquemático da base do Sundial at the Tower Hill. Fonte: Street Sensation.

Sundial at the Tower Hill.
Sundial at the Tower Hill.
A Torre de Londres vista do Sundial.
A Torre de Londres vista do Sundial.

Para entrarmos na Torre de Londres, optamos em comprar os ingressos online para evitar filas e ganharmos tempo. Comprei na noite anterior no próprio site e usei o cartão Wise para fazer o pagamento.


Superbloom na Torre de Londres.
Superbloom na Torre de Londres.

Encontramos a Thais e ficamos conversando sobre o local esperando a Tower Bridge abrir (ela ficou atenta a isso, porque eu mesma não tinha pesquisado e teria passado batido, para saber os horários para a sua visita, acesse o site da Tower of Bridge).


Tower bridge, vista da entrada da Torre de Londres.
Tower bridge, vista da entrada da Torre de Londres.

A Tower Bridge "aberta", vista de dentro da Torre de Londres.
A Tower Bridge "aberta", vista de dentro da Torre de Londres.

Portão do traidor (Traitor's Gate).
Portão do traidor (Traitor's Gate).

A Torre de Londres fica às marges do Rio Tâmisa e foi construída em etapas: a Torre Branca (o prédio mais alto ao meio) foi construído em 1078 pelo rei William I (o Conquistador), a ala interna construída durante o reinado de Richard I, a ala externa durante o reinado de Edward I, e a última parte (ancoradouro) foi finalizado em 1399. 


Mapa em inglês da Torre de Londres (2012). Fonte: Wikipedia

Inicialmente o cartelo foi usado como residência real, mas depois teve outras utilidades: como prisão, depósito de armas, sede real da casa da moeda, zoológico e agora um "museu". Ele é protegido pelos beefeaters, que também fazem os tours guiados, soldados que já prestaram serviço à coroa e hoje moram dentro da Torre de Londres e a conhecem como ninguém.


Tour com um dos beefeaters na Torre de Londres.
Tour com um dos beefeaters na Torre de Londres.

Começamos a visita pelas Joias da Coroa, porque segundo a Thais as filas ficam muito grandes ao longo do dia. As joias ficam expostas no Waterloo Block. 


A estrutura para a fila para as Joias da Coroa.

Entrada para as Joias da Coroa.
Entrada para as Joias da Coroa. 


Ver de perto a coroa impressiona pela grandiosidade e tamanho das gemas que a ornamentam: ela é toda feita em ouro, com mais de 2.800 diamantes, 11 esmeraldas, 269 pérolas e 4 rubis, dentre eles joias ícones como o Rubi Black Prince, a Safira Stuart e o diamante Cullinan II. Esta coroa foi feita para a coroação de Charles II, pois a coroa medieval foi derretida pelos parlamentares em 1649 depois da execução de Charles I. O Rei Charles III será coroado com ela dia 06 de maio de 2023.


A Coroa Imperial exposta. Lá dentro não pode tirar fotos... Fonte da imagem: Historic Royal Palaces

O Cetro Imperial foi usado em todas as coroações desde Charles II em 1661, mas foi modificada por George V ao adicionar o diamante Cullinan I, o maior brilhante (quando o diamante é lapidado) do mundo. 


O Cetro Imperial com destaque para o Cullinan I. Fonte da imagem: Historic Royal Palaces

O Orbe Imperial representa o poder e as responsabilidades que o/a rei/rainha tem em mãos ao receber a coroa. É uma "bola" de ouro com uma cruz, que lembra ao monarca que o poder vem de Deus.


O Orbe Imperial. Fonte da imagem: Historic Royal Palaces

Também ficam expostas a coroa da Rainha-Mãe, que tem o diamante Koh-i-Nûr; a Colher da Coroação, uma das joias mais velhas da coleção, pois escapou do derretimento de todas as joias depois de Charles I, sendo considerada a peça mais sacrada pois ela é usada com o óleo sagrado; além de todas as peças utilizadas no jantar da coroação, todas em ouro.


Quando um monarca é coroado ou morre, esta parte é fechada, pois as joias são retiradas da exposição para que possam participar da cerimônia, como vimos no funeral da Rainha Elizabeth II


Dali, nós fomos a Torre Verde (que na verdade é o espaço gramado onde vários nobres foram decaptados), até uma almofada de cristal que é um memorial à Ana Bolena (Anne Boleyn), a segunda esposa do rei Henry VIII, que foi decaptada naquele local. Seu corpo está enterrado na Igreja de São Pedro ad Vincula, em frente ao memorial. Ali, a Thais nos contou toda a história da Torre de Londres, e principalmente de Henry VIII e a origem da Igreja Anglicana.


Memorial à Ana Bolena.
Memorial à Ana Bolena.

Thais explicando a história de Henrique VIII e a origem da Igreja Anglicana.


Fomos em seguida para a Torre Branca, onde ficam expostos as armaduras medievais e a Capela de São João. Mas não sem antes ver os Corvos e conhecer sua história e passar pela Bloody Tower (veja aqui a história dos Príncipes na Torre Sangrenta).


Corvos na Torre de Londres
Os corvos que "protegem" a monarquia.

O acesso à Torre de Branca é feito por escadas.
O acesso à Torre de Branca é feito por escadas.

Uma das várias salas de armaduras dentro da Torre Branca da Torre de Londres.
Uma das várias salas de armaduras dentro da Torre Branca da Torre de Londres.

Capela de São João, dentro da Torre Branca.
Capela de São João, dentro da Torre Branca.

Encerrado o passeio na Torre de Londres, fomos caminhando ao longo do Rio Tâmisa, onde cruzamos pela Ponte de Londres para podermos visitar o Borough Market.

 

Andando pelo Rio Tâmisa, em frente ao restaurante Coppa Club.

Ali aproveitamos para comer fish'n'chips no Fish! Restaurant para podermos sentar e aproveitar o ar condicionado (estava muito quente). As crinaças comeram Fish Fingers & Chips com Suco de Maçã e sorvete de sobremesa (£9,50) e nós almoçamos Cod (Bacalhau) com Ervilhas amassadas (Mushy Peas) e molho tártaro (£23,50).


Menu do Fish! Restaurant dentro do Borough Market.
Menu do Fish! Restaurant dentro do Borough Market.

Interior do Fish! Restaurant dentro do Borough Market.
Interior do Fish! Restaurant dentro do Borough Market.

Demos uma volta no mercado e provei a tal Pimm's que a Thais sempre faz propaganda.


Queijos no Borough Market.
Queijos no Borough Market.

Borough Market.
Borough Market.

Frutas no Borough Market.
Frutas no Borough Market.

Mais queijos no Borough Market.
Mais queijos no Borough Market.

Hora do almoço o Borough Market fervilha.
Hora do almoço o Borough Market fervilha.

Pimm's
A bebida Pimm's que a Thais tanto fala.


Booking.com


Conversando sobre a cidade, passamos pela Catedral de Southwark de 1106; pelo barco The Golden Hinde (réplica do navio de Sir Frances Drake, que circum-navegou o globo entre 1577 e 1580, "patrocinado" pela Rainha Elizabeth I e pirateou navios de outras nacionalidades, trazendo muita riqueza, £160.000, o suficiente para pagar o débito do governo e ainda sobrou); pelo The Clink Prison Museum, que funcionou como prisão de 1151 até 1780, onde prisioneiros ficam presos sem alimentação (os familiares que tinham que passar comida pela janela) e se a maré subisse muito até podiam morrer afogados.


Catedral de Southwark.
Catedral de Southwark.

The Clink Prison Museum.
The Clink Prison Museum.

The Golden Hinde.
The Golden Hinde.

Cannon St railway bridge e os prédios da City of London.
Cannon St railway bridge e os prédios da City of London.

Southwark bridge.
Southwark bridge.

Passamos também pelo Shakespeare Globe, onde peças de Shakespeare são contadas como na época que ele as escrevia, sendo uma réplica do teatro que fica há algumas quadras dali; atravessamos o Rio Tâmisa pela Millenium Bridge, uma ponte suspensa apenas para pedestres que abriu em 2000 e aparece nos filmes de Harry Potter. O mais legal da Millenium Bridge é que ela alinha com a cúpula da St Paul's Cathedral, rendendo fotos muito bonitas.


Shakespeare Globe.
Shakespeare Globe.

Millenium Bridge.
Millenium Bridge.

Millenium Bridge e a St Paul's Cathedral ao fundo.
Millenium Bridge e a St Paul's Cathedral ao fundo.

Nós na Millenium Bridge.

Fomos para a Catedral de São Paulo e entramos aproveitando que tinha uma missa, mas nem pudemos ficar muito justamente por causa da missa. Esta igreja é anglicana, sendo a sede do Bispo de Londres, e começou a ser construída em 601 (como igreja católica) e finalizando apenas em 1710, tendo a segunda maior cúpula do mundo (a primeira é a Basílica de São Pedro). Foi nesta catedral que Charles, ainda Príncipe de Gales, casou-se com Lady Diana Spencer em 1981.


Fachada da Catedral de São Paulo.
Fachada da Catedral de São Paulo, com destaque para a estátua da Rainha Anne.


Daqui, pegamos o ônibus (25) até o Leadenhall Market, mas já estava tudo fechado. Como a ideia era apenas fotografar, foi perfeito, até porque, ali que foi gravada cenas do primeiro filme de Harry Potter.


Aproveitando o visual do segundo andar do ônibus double deck.
Aproveitando o visual do segundo andar do ônibus double deck.

Leandenhall Market.
Leandenhall Market.

Leandenhall Market.
Leandenhall Market.

Nós na famosa porta no Leandenhall Market.
Nós na famosa porta no Leandenhall Market.


A Thais aproveitou também para nos contar outra curiosidade sobre Londres: os londrinos costumam apelidar os prédios da City of London, como o Walkie-Talkie (20 Fenchurch St - Aquele que fritava ovo no asfalto e derreteu carros por causa da curvatura) e o Cucumber (30 St Mary Axe). 


The Walkie Talkie se destaca.
The Walkie Talkie se destaca.

Finalmente nos despedimos depois de um dia incrível. E nós voltamos para o hotel para jantar no restaurante do hotel mesmo já que estávamos exaustos de tanto andar.


Foto bônus: London Eye e o Parlamento vista da Golden Jubilee Bridge que atravessamos no início deste dia.


Outros dias:

Dias 0 e 1 - Chegando em Londres, Kensington Palace, Hyde Park e Oxford Street.

Dia 2 - British Museum, Leicester Square (M&M's World) e Piccadilly Circus (Hard Rock Cafe London)

Dia 3 - Torre de Londres, Borough Market, Millenium Bridge, St. Paul's Cathedral e Leandenhall Market

Dia 4 - Museu Marítimo, Royal Observatory Greenwich e House of MinaLima

Dia 5 -  Westminster Bridge, Big Ben, Museu de História Natural

Resumo de roteiro completo: Londres - voltando a viajar pós-pandemia - nosso roteiro resumido


Nosso Roteiro em Londres - Dia 3 - Torre de Londres, Borough Market, Millenium Bridge, St. Paul's Cathedral e Leandenhall Market
Salve este pin em seu Pinterest.

Nenhum comentário

Reserve seu hotel

Booking

Seguros de viagem

Banner 2
Use EAIFERIAS15 para ter 15% de desconto no Seguros Promo

Aluguel de carro