Projeto E aí, Ferias! na Estrada Real

Com as Olimpíadas chegando é inevitável que a cidade do Rio de Janeiro fique lotada de turistas de todos os locais do mundo. Como não temos tanto "gosto" pelos esportes (ok, tentei apenas comprar ingressos para a ginástica rítmica, mas não consegui!!), optamos por sair da cidade nesta época e curtir algo diferente nas férias de 2016.

Estudamos daqui, olhamos dali, repensamos na viagem ao exterior que deixamos de fazer ano passado por causa do dólar, que continua nas alturas e desistimos na mesma hora... E pensamos: por que não irmos fazer a Estrada Real? Ainda mais agora com a nossa TR4 à disposição?!  Assim nasceu o "Projeto E aí, Ferias! na Estrada Real".

Nós na Estrada Real, em Caxambu (MG). Fevereiro/2016.
Comecei, então, a estudar a Estrada Real e nada mais óbvio que entrar no site do Instituto Estrada Real para começar "do começo".


Mas o que é a Estrada Real?

Hoje, a E.R. é a maior rota turística do Brasil. Com cerca de 1.630 km de extensão, passando por Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Por ela a Coroa Portuguesa, no século XVII, escoava o ouro e os diamantes de Minas Gerais para os portos do Rio de Janeiro, dando às trilhas o nome de Estrada Real.

Ela é composta por quatro caminhos diferentes:

- Caminho Velho (ou Caminho do Ouro)

Foi o primeiro trajeto determinado pela Coroa Portuguesa, ligando Ouro Preto à Paraty, passando por cidades como São João Del Rei, Tiradentes, Carrancas, São Lourenço, Caxambu, Itamonte, Guaratinguetá e Cunha. O trajeto todo tem por volta de 710km de distância (82,5% de estrada de terra, 10% de asfalto, 6% de trilhas e 1,5% de calçamento).

- Caminho Novo

Tempos depois, por volta de 1725, criaram um outro caminho, mais seguro, para o Porto no Rio de Janeiro, evitando assim ataques piratas no caminho marítimo entre Paraty e Rio. Este caminho passa por cidades como Petrópolis, Paraíba do Sul, Juiz de Fora e Barbacena. São 515 km de distância (63% de estrada de terra, 32% de asfalto e 5% de trilhas).

- Caminho dos Diamantes

Este caminho ganhou destaque por volta de 1729, quando as pedras extraídas de Diamantina ganharam destaque. Ela vai desde Ouro Preto até Diamantina, passando por cidades como Catas Altas, Conceição do Mato Dentro, Serro. São 395km de distância, onde 73,5% é estrada de terra, 26% asfalto, e 0,5% de trilhas.

- Caminho de Sabarabuçu

Cheio de serra íngremes pelo caminho, cortado por vários rios, este caminho atraiu muita gente em busca de ouro e pedras preciosas, pois havia uma crença que havia ouro no topo da Serra de Sabarabuçu, hoje Serra da Piedade. O caminho margeia o Rio das Velhas. São 160km de distância (82% de estrada de terra, 18% de trilhas).


Mas por que fazer a Estrada Real?

Bem, como já devem saber, meu marido é mineiro, que mal conhece seu Estado, e a gente tem se aventurado pelo mundo fora de estrada. Quer coisa mais agradável que conciliar as duas coisas? Por ser geóloga, já percorri muitas estradas de Minas Gerais, mas naquela época, a câmera era de filme de rolo (nossa, tô velha!) e mal e porcamente tenho algum registro... Será uma viagem no tempo percorrer e visitar as cidades que já passei e levar a minha família para conhecer um pouco da História do Brasil.


Como distrair as crianças nesse tempo todo?

Isso será um grande desafio! Teremos que transformar a viagem numa grande brincadeira. Como? O próprio Instituto acabou dando uma mãozinha quando eles criaram o Passaporte da Estrada Real e o Certificado. Além disso, vamos levar DVDs diversos para o carro, câmera fotográfica para que elas possam tirar fotos do ponto de vista delas, além de outros brinquedos que elas queiram levar. Ah, e claro, sempre que possível fazer um programa voltado para elas, como uma pracinha ou um mergulho numa cachoeira.


E o que é esse passaporte e certificado?

O passaporte é um pequeno caderninho estilizado, onde o proprietário coloca seus dados e foto, e à medida que vai passando por cidades do caminho, vai coletando os carimbos nos pontos especificados pelo Instituto. Assim, fica registrado que você passou naquela cidade, percorrendo a Estrada Real. As cidades que dão carimbo são:

- Caminho Velho: Ouro Preto, Congonhas, Entre Rios de Minas, Lagoa Dourada, Prados, Tiradentes, São João del-Rei, Carrancas. Cruzília, Baependi, Caxambu, São Lourenço, Pouso Alto, Itamonte, Itanhandu, Passa Quatro, Guaratinguetá, Cunha e Paraty.
- Caminho de Sabarabuçu: Ouro Preto, Rio Acima, Sabará, Caeté, Cocais.

Nossos passaportes da Estrada Real para carimbar em Baependi e um tercinho para colocarmos em nossa TR4 para proteção. Fevereiro/2016.
Para ter seu próprio passaporte, basta que você faça seu cadastro junto ao Instituto Estrada Real e assinale em qual cidade você pegará o seu exemplar (Ouro Preto, Paraty, Petrópolis, Cocais, Tiradentes e Diamantina), após o preenchimento do formulário você tem 60 dias para pegar. O passaporte é gratuito, você apenas deverá doar um quilo de alimento não perecível ou uma peça de roupa em bom estado.  Cada viajante deve ter o seu próprio passaporte. Nós pegamos o nosso exemplar em Petrópolis, na Praça da Liberdade.

Cada cidade poderá ter mais de um local para carimbar o passaporte, mas você deverá coletar apenas um carimbo por cidade! Veja a  relação dos locais no próprio site do Instituto para que não haja erros.

O certificado você só receberá ao final do percurso, se tiver coletado o número de carimbos necessários:

- Caminho Velho: 14 carimbos.
- Caminho Novo: 08 carimbos.
- Caminho dos Diamantes: 10 carimbos.
- Caminho de Sabarabuçu: 4 carimbos.

E se você completar todos os quatro caminhos ainda poderá pedir o Certificado Especial.

O certificado somente poderá ser solicitado nos locais de retirada de passaporte.


Ok, me animei! Mas como percorro a Estrada Real?

Para percorrer os caminhos, você deve ir no Site de Roteiros do Instituto Estrada Real e selecionar o caminho que você deseja percorrer. À direita, em trechos, você poderá escolher o trecho que você vai percorrer. Mas cuidado com a direção, se você vai de Ouro Preto a Petrópolis ou de Petrópolis a Ouro Preto, a ordem dos totens muda e pode te causar confusão. Fique atento ao escolher o trecho!! Cada caminho foi dividido em vários trechos para facilitar o manejo das planilhas de acompanhamento. A planilha para quem faz rally de regularidade é bem tranquila de seguir. Quem nunca viu uma poderá estranhar no começo, mas logo pegará o jeito. Nela contém a distância acumulada entre uma cidade e outra, a distância parcial entre um marco e outro, a simbologia (onde o marco estará, como é a bifurcação, etc), o descritivo do trecho, e o número de identificação do marco.
Para facilitar, eu criei na mão (ok, deu trabalho hahaha) o trajeto no google maps e modifiquei no Tracksource e baixei em meu wikiloc, pois é o caminho que eu quero fazer. Em alguns pontos iremos escapar da Estrada Real para ver algo que nos interessa, como ir ver o Lavandário em Cunha, por exemplo.
No wikiloc tem os trechos já mapeados para quem vai de bicicleta e os nossos rastros também já estão disponíveis por lá.
Quando nós voltarmos de viagem, vou deixar público o caminho que fizermos de carro. Alguns caminhos que já percorremos já estão liberados, mas vou divulgá-los aqui, quando fizer o post do trajeto realizado (então não deixe de nos acompanhar =D)


Em quanto tempo se percorre a Estrada Real?

Bem, quem vai ditar o ritmo da viagem é você mesmo. Vai a pé? A cavalo? Bicicleta? Carro Comum ou 4x4?
De carro, o Instituto Estrada Real estima que se gasta 6 dias para percorrer o Caminho Novo, 4 dias para o Caminho dos Diamantes, 2 dias para o Caminho de Sabarabuçu e 8 dias para o Caminho Velho. Mas acredito que isso não  leva em consideração quantos dias você quer passar em cada cidade. Tem cidade que nós, por exemplo, não vamos passar ou vamos passar batido, e mesmo assim, estou estimando gastar mais de 30 dias nesta brincadeira. 


Mas o que tem pra ver na Estrada Real?

Tem de tudo! Cachoeira, prosa, lago, queijo, artesanato, igrejas, poeira, museus, grutas, paisagem, natureza, rios, doces, comida mineira, subidas e descidas! Cada pessoa que for percorrer a Estrada o fará com um objetivo diferente. Descubra o seu!
Aliás, para quem curte Cachoeira, não podemos esquecer de comentar o app Cachoeiras da Estrada Real, que foi lançado recentemente e traz rotas das cidades até as cachoeiras mais próximas e famosas. Super fácil de se divertir por conta própria! O aplicativo está disponível para Android e IOS, e usa dados off-line também.


Não quero ir agora. Mas quero contribuir com seu projeto, é possível?

Bem, se você tem uma empresa dentro da Rota da Estrada Real ou mesmo fora e têm uma ideia de parceria, entre em contato conosco para viabilizar a sua ideia. O email para contato é o camila@eaiferias.com.


Quem vai embarcar conosco nesta viagem?


Dados: Instituto Estrada Real

Update (21/07/2016): Revisão dos pontos de carimbo, conforme indicado na planilha do IER.
Update (20/06/2017): Adicionando Links para os posts das cidades visitadas.

Nenhum comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Reserve seu hotel

Booking
Zarpo

Seguros de viagem

World Nomads Seguros de Viagem
Mondial Seguros
Corretora Real Seguro de Viagens

Aluguel de carro

Trem na Europa