Conte sua viagem - Portugal com crianças III - by Raphaela Tavares

Convidei a Raphaela para escrever seu relato de viagem a Portugal com seu filho, Raul, de 5 anos de idade, e sua família. O relato está dividido em quatro partes, a primeira parte já foi publicada aqui, a segunda parte aqui , hoje trago a terceira parte e a última vai ao ar em alguns dias.

Viajar com crianças é possível!! 'Bora conferir a dica dela?

"Quando decidimos ir para Lisboa, também decidimos não ficar na capital Lusitana. Não queríamos fica na agitação da cidade grande, então começamos a pesquisar lugares periféricos e a grande surpresa foi Alcochete.

Mosteiro dos Jeronimos, Lisboa, Portugal. Agosto/2014. Foto: Raphaela Tavares.

Bom, decidimos ir para lá de um dia para o outro, fizemos a reserva por e-mail e o dono do hotel nos confirmou a reserva retornando a ligação (levei o meu celular aqui do Brasil e comprei um chip telefônico lá, vale super a pena, pelo acesso à internet e também para alguma emergência). A cidade foi escolhida por estar perto de Lisboa e também por ter um outlet, que dizem ser o maior da Europa e minha mãe queria muito conhecer as lojas, mas depois conto mais sobre isso.

Para chegar em Alcochete, pegamos Lisboa e atravessamos a Ponte Vasco da Gama, que tem aproximadamente 16 km, atravessando o Rio Tejo. Para achar o hotel Quinta da Praia das Fontes, foi um pouco difícil, o GPS sempre nos levava para o mesmo lugar, mas lá parecia uma prisão antiga ou convento e não tinha número. Resolvemos ligar para o hotel e o dono nos deu um ponto de referência e foi ao nosso encontro, ele dava as coordenadas pelo telefone e como estávamos com celular, acabamos nos encontrando numa esquina, bem onde o GPS insistia em nos levar rs. Fiquei com receio quando vi a construção que a priori achei que era uma prisão, mas quando ele abriu a porta, nos deparamos com um lindo pátio, florido e tranquilo. Os quartos ficavam ao redor desse pátio e quando começamos a explorar o hotel ficamos mais encantados, tinha uma passagem feita por um jardim secreto que nos levava à uma piscina de pedra com águas naturais, um espaço todo florido com espreguiçadeiras e bicicletas à disposição para andar pelo local. O café da manhã era uma delícia, simples, mas o suficiente para torná-lo um hotel com ótimo custo x benefício, três dias para cinco pessoas em um quarto tipo chalé de dois andares (andar térreo equipado com micro-ondas, fogão, frigobar, pia, sala de tv e banheiro, e em cima os quartos com cinco camas) por 290 euros.
Quinta da Praia das Fontes. Agosto/2014. Foto: Raphaela Tavares.
Aproveitamos o dia no hotel, para à noite irmos para o tão esperado outlet. Foi frustrante, achamos que não vale a pena ir, ainda mais quando conhece os dos EUA ou até do Brasil mesmo. Apesar de ser em Euro, já sabíamos que não poderíamos nos empolgar, as lojas mais arrumadas eram de marcas de esportes norte-americanas, que aí seguem um padrão de layout, mas não tinham ofertas que valessem a pena e nem diversidade de produtos. As outras lojas tinham artigos muito velhos e caros! A única coisa que valeu a pena foi uma hamburgueria que meu marido ficou apaixonado e voltamos lá no dia seguinte para ele comer de novo.

Na manhã seguinte, logo pela manhã, partimos para Lisboa para conhecer o bairro onde feita a EXPO 98, o Oceanário de Lisboa e a Telecabine Lisboa (teleférico). Visitamos o Oceanário, que é simplesmente lindo, uma ótima atração para as crianças, até porque seu mascote é o Vasquinho, um menino que protege as águas. Existe também uma área é dedicada à educação ambiental e Raul amou aprender sobre economia e como não poluir as águas.
Lisboa, EXPO 98. Agosto/2014. Foto: Raphaela Tavares.

Depois de sairmos do Oceanário, fomos dar um passeio pelo Parque das Nações, local moderno, bem arborizado, tranquilo para passear e apreciar sua beleza. De lá pegamos o teleférico para ter uma vista panorâmica. Vale a pena ir no teleférico, pois além de ser muito barato, é possível ver a região nova de Lisboa, que foi construída para funcionar como sede para a EXPO 98, e assim tem um visual moderno que contrasta com o resto de Lisboa.

Esse passeio durou a parte da manhã toda e depois seguimos de carro para o bairro de Rossio: parte antiga de Lisboa, onde almoçamos num dos restaurantes que ficam na avenida Liberdade, onde as mesas ficam na rua mesmo, pois não há transito de carro. Dedicamos o dia para entrar em lojinhas de artigos genuinamente portugueses, subir e descer ladeiras, admirar monumentos históricos e se encantar com a construção de cada prédio. O Museu da Cerveja, que fica na Praça do Comércio, não pode ser esquecido quando se visita Lisboa, pois é um lugar gostoso para curtir uma boa cerveja acompanhado de delicioso bolinho de bacalhau, com mesas ao a livre. O barato de andar por Lisboa, na parte antiga é andar e se encantar por ruas e praças.

Lisboa, Portugal. Agosto/2014. Foto: Raphaela Tavares.

Como uma boa formiga, queria conhecer o bairro de Belém, onde tem os famosos e originais pastéis de Belém. A loja se mantém no mesmo lugar desde 1837 e sua receita é secreta e deliciosa rs . O Mosteiro dos Jerônimos e a Torre de Belém são as atrações do local. Os jardins e fontes à frente do mosteiro, são atrações à parte, limpos, organizados e o melhor, as crianças podem ficar soltas e correrem à vontade."
Belém, Portugal. Agosto/2014. Foto: Raphaela Tavares.

O mapa com os lugares visitados pela Raphaela, você pode conferir logo abaixo:




Nenhum comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Reserve seu hotel

Booking
Zarpo

Seguros de viagem

World Nomads Seguros de Viagem
Mondial Seguros
Corretora Real Seguro de Viagens

Passeios no seu destino

Viator

Aluguel de carro

Trem na Europa