Estrada Real - Caminho Novo - Juiz de Fora

Depois de um dia inteiro fazendo os trechos do Caminho Novo da Estrada Real, de Itaipava até Paraíba do Sul pela manhã e de lá até Juiz de Fora (MG) a tarde, chegamos nesta cidade por volta das 18h.

A origem da cidade vem da época do Ciclo do Ouro, pois era uma região de difícil acesso e ficou intocada até o século XIX, habitando por ali somente índios puris e coroados, mas com a abertura do Caminho Novo por volta de 1707 diversos povoados começaram a surgir no caminho, entre eles o Arraial de Santo Antônio do Paraibuna, por volta de 1713. A vila só surgiu no início do século XIX. O município de Santo Antônio do Paraibuna desmembrou de Barbacena em 1850, tendo sido elevado a cidade em 1856, e apenas em 1860 a cidade passou a ser conhecida como Juiz de Fora.

Juiz de Fora vista do Hotel. Março/2016.
Diz-se que a origem de seu nome é referência a um juiz de fora (magistrado nomeado pelo Rei de Portugal para atuar em conselhos onde era necessária a intervenção de um juiz isento e imparcial, que normalmente era de fora da localidade) que hospedou-se por pouco tempo em uma fazenda da região.

A cidade possui diversos pontos turísticos para o visitante:



Museu Mariano Procópio

É o primeiro museu de Minas Gerais, fundado em 1915, com um acervo de cerca de 50 mil peças. São dois edifícios: Villa Ferreira Lage, de 1861; e o Prédio Mariano Procópio, de 1922. Mas infelizmente está fechado para restauração...

No entanto é possível visitar o Parque do Museu Mariano Procópio, com belos jardins, que já encantavam a elite brasileira no século XIX. 

Localização: Rua Mariano Procópio, 1100
Horário de Funcionamento: 08:00 às 18:00h;


Jardins do Museu Mariano Procópio. Fonte: Wikimedia



Museu de Arte Moderna Murilo Mendes (MAMM)

Inaugurado em 2005, fica no antigo prédio da Reitoria da Universidade Federal de Juiz de Fora, que administra o acervo do escritor e poeta Murilo Mendes, além de obras de artes pertencentes ao escritor. O museu abriga também volumes de história, filosofia, arquitetura, arte cênicas, entre outros.

Localização: Rua Benjamin Constant, 790
Horário de Funcionamento: Segunda das 12 às 18h; Terça a Sexta das 09 às 18h.
Entrada gratuita



Museu de História Natural e Museu da Etnologia Indígena da Academia

O Museu de História Natual de Juiz de Fora foi inaugurado em 1991, conta com um acervo de aproximadamente 1.200 exemplares, sendo possível acompanhar a evolução do homem e de sua tecnologia, desde o surgimento da espécie.

Faz parte do Núcleo Acadêmico bato Arnaldo Jansen, onde também se encontra o Museu etnológico, que contem um acervo de 1.500 peças de material indígena pré-histórico e atual, e das culturas africanas e brasileira.

Localização: Rua Halfeld, 1179
Horário de Funcionamento: Segunda a Sexta, das 12h às 18h.
Entrada gratuita
Site Oficial: Academia



Museu Ferroviário de Juiz de Fora

Inaugurado em 2003, conta a história da ferrovia na cidade e aborda os aspectos técnicos das estradas de ferro. Acesso pela Estação Ferroviária de Juiz de Fora.

Localização: Avenida Brasil, 2001
Horário de Funcionamento: Segunda a Sexta, das 9h às 17h.



Museu Usina de Marmelos Zero

Foi a primeira usina hidroelétrica da América do Sul, localizada no Rio Paraibuna, que serviu Juiz de Fora no início do século XX. Foi desativada em 1896 e abriga o Museu com as turbinas originais e informações sobre a sua existência. Era administrada pela Universidade Federal de Juiz de Fora e hoje está sendo administrada pela CEMIG.

Localização: Estrada União Indústria km 182
Horário de Funcionamento: Segunda a Sexta, de 13:30 ás 17h.
Fonte: Prefeitura de Juiz de Fora



Morro do Imperador

Inaugurada em 1906, em um dos pontos mais altos da cidade (923m de altitude), este ponto turístico é conhecido por vários nomes: "Morro do Redentor" (nome oficial), "Morro da Liberdade", "Morro do Cristo". O nome foi dado em homenagem ao Imperador D. Pedro II que sempre subia a montanha em suas visitas a Juiz de Fora para observar o crescimento local.

Mirante do Cristo. Março/2016.
A construção do Cristo no Morro do Imperador é a primeira do Brasil, com 3,75m de altura, sobre uma capela com 25m de altura.

Ali também pode ser visitado o Mirante Salles de Oliveira, com vista panorâmica para grande parte da cidade; e a primeira torre heicoidal da América do Sul, que serviu à TV Industrial, emissora pioneira em geração de imagens no interior do Brasil.

Localização: Rua Dr. João Pinheiro



Parque da Lajinha

Instalado na antiga Fazenda da Lajinha, o parque foi fundado em 1982 com uma área de aproximadamente 43 hectares, com cachoeiras, trilhas, jardins, lagos e gramados, coreto, quiosques, campo de futebol, etc.

Localização: Av. Deusdetith Salgado, s/n (no trevo de cruzamento para o Aeroporto na BR-040).
Horário de Funcionamento: 07h às 18h.
Entrada Gratuita



Parque Halfeld

O terreno onde o parque está instalado pertencia ao Engenheiro Henrique Halfeld. Conhecido originalmente como Largo Municipal e depois Jardim Municipal, e era um local descuidado. Apenas em 1901, após reforma e troca de nome para Praça Coronel Halfeld que passou a ter a devida atenção. De lá pra cá sofreu várias remodelações e apenas em 1981 sofreu a última reformulação paisagística e passou a ser conhecido como Parque Halfeld, mantendo apenas o lago, a ponte e um quiosque dos tempos de quando foi inagurado.

Localização: Rua Halfeld
Entrada Gratuita

Parque Halfeld. Março/2016.



 Além destas atrações, você poderá ver outras no site da Prefeitura no Portal do Turismo.

Nós visitamos a cidade apenas pela noite, ficando no hotel e já saindo na manhã seguinte. Até pensamos em ir no Morro do Imperador, mas preferimos prosseguir na Estrada Real e pegar o Museu de Santos Dumont com tempo bom, já que havia previsão de chuva mais tarde...

Nenhum comentário

Reserve seu hotel

Booking
Zarpo

Seguros de viagem

Allianz Mondial Seguros
Banner 2 Use EAIFERIAS5 para ter 5% de desconto no Seguros Promo

Aluguel de carro

Ingressos para as principais atrações de Orlando